Logo EPOP fundo transparente

Alerta do CTIR Gov reforça importância de prevenir phishing

Alerta do CTIR Gov reforça importância de prevenir phishing
Alerta do CTIR Gov reforça importância de prevenir phishing

Em um alerta aos órgãos federais, o Centro de Prevenção, Tratamento e Resposta a Incidentes Cibernéticos do Governo (CTIR Gov) destacou a importância da prevenção de phishing e recomendou a adoção de uma série de medidas para evitar o roubo e o uso indevido de credenciais. A recomendação foi feita após o ataque baseado em credenciais que afetou o Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira), do governo federal, no início de abril.

No alerta publicado no site da instituição no dia 19 de abril, o CTIR Gov destaca que tem verificado o aumento do número de credenciais válidas sendo vendidas no mercado negro, possibilitando o acesso indevido a sistemas do governo. A nota ressalta ainda que os atacantes usam diferentes técnicas para obter as credenciais, incluindo phishing, engenharia social, keyloggers e monitoramento de tráfego de rede.

Para mitigar os riscos, o CITR Gov recomendou que os órgãos federais adotem uma série de medidas. A primeira é orientar usuários dos sistemas do governo a identificar tentativas de phishing e suas variantes (smishing e vishing), que podem incluir a utilização de e-mails, mensagens de texto e chamadas telefônicas. 

Outra recomendação é implementar o princípio de privilégio mínimo, garantindo que usuários tenham apenas o nível de acesso necessário para cumprir suas tarefas, e exigir a adoção de Múltiplo Fato de Autenticação (MFA) para todos os logins. Por fim, os órgãos devem combinar o uso de Certificados de Governo e MFA, garantindo proteção sucessiva ao acesso a sistemas críticos.

Phishing: principal vetor de ameaças

Embora o ataque específico ao Siafi ainda esteja sob investigação, o phishing de fato é a porta de entrada para até 95% dos ataques, segundo relatório da Comcast Business. Portanto, para o especialista em cibersegurança e CEO da HSC Labs, Romulo Boschetti, faz sentido que o CITR Gov destaque o treinamento de usuários como primeira orientação.

“Nós temos sempre que pensar que o usuário é nossa última barreira de proteção. Desta forma, ensiná-lo como identificar uma possível ameaça e saber como reagir a ela ainda é o método mais eficaz de proteção”, afirma Boschetti. Isso é especialmente importante para ameaças que são direcionadas ao usuário, como ataques baseados em engenharia social

Além disso, o ideal é que a conscientização do usuário também esteja alinhada com o investimento em ferramentas adequadas de segurança. “A melhor forma de eliminar os riscos de phishing é atuar nas duas frentes, combinando tecnologia e conscientização de forma integrada. Nós adotamos essa abordagem com diversos clientes e observamos na prática o reforço de segurança que ela proporciona”, diz Boschetti.

O especialista destaca três pontos principais que os gestores de TI e segurança devem considerar nessa abordagem. O primeiro é a adoção de uma solução antiphishing baseada em IA para bloquear os ataques antes que eles cheguem à caixa de entrada. “É importante também que a solução consiga remover uma ameaça direto da mailbox, caso o e-mail já tenha sido entregue”, afirma.

Um segundo ponto é o monitoramento de senhas vazadas na deepweb, com uma solução que identifica se as senhas dos usuários estão entre as que foram comprometidas em algum vazamento. O monitoramento ajuda a reduzir o risco do uso indevido de credenciais, e deve ser adotado junto com medidas de autenticação e privilégio mínimo, como as recomendadas pelo CITR Gov.

Por fim, o treinamento e a conscientização de usuários, que devem incluir testes contínuos, ataques simulados e conteúdos de aprendizado. Dessa forma, os usuários vão aprender a reconhecer as ameaças, que chegam não apenas por e-mail, mas também via redes sociais, ligações e mensagens.

Nesse sentido, as ferramentas oferecidas pela HSC incluem o MailInspector, um antiphishing de última geração, e o MindAware, uma plataforma de conscientização e treinamento em cibersegurança, que promove ataques simulados de phishing e oferece conteúdos educativos para os usuários. Além disso, o MindAware inclui um módulo avançado de monitoramento de senhas, que se integra ao Active Directory da organização e alerta para senhas comprometidas.

Mais informações no site hsclabs.com.

 

© 2024 EPOP copyright all right reserved.