Logo EPOP fundo transparente

Cardio e musculação preservam cérebro de idosos, diz estudo

Cardio e musculação preservam cérebro de idosos, diz estudo

A prática de exercícios aeróbicos e de musculação pode ajudar na preservação do cérebro e no desempenho da atividade cognitiva dos idosos, de acordo com um artigo publicado na revista científica GeroScience.

O estudo foi realizado com 184 idosos cognitivamente saudáveis, com idades entre 85 e 99 anos. Eles foram submetidos a um questionário e separados em três grupos: sedentários, cardio e cardio aliado à treinamento de força.Os participantes realizaram uma série de testes cognitivos como NIH-TB, Codificação, Pesquisa de Símbolos, Fluência de Letras e Teste Stroop.

O estudo concluiu que o grupo três, com idosos que praticam exercícios cardiorrespiratórios e de musculação, apresentam um melhor desempenho em respostas cognitivas de velocidade de processamento e funções executivas.

Para André Moraes, personal trainer especialista em treino resistido para terceira idade, esse estudo reforça que a prática de atividade física traz benefícios físicos e emocionais significativos na rotina do idoso.

“A atividade física não atua apenas no corpo físico, mas repercute diretamente no sistema nervoso central e emocional dos indivíduos, causando grande impacto na melhora da saúde durante a terceira idade”, diz Moraes.

O especialista ainda explica que, ao envelhecer, as atividades cotidianas passam a ser cada vez mais desafiadoras, principalmente depois de algum tipo de lesão, o que faz o idoso perder sua autonomia, confiança e, com isso, sua mente e emoções também podem apresentar prejuízos. 

“O idoso acompanhado por um profissional qualificado que consiga trabalhar adequadamente sua saúde física se beneficiará com mudanças em seu corpo, que impactarão diretamente em sua auto estima, mente e emoções.

Moraes também aponta que a conclusão do artigo ajuda a desmistificar que, além de seguro, é necessário praticar musculação e exercícios aeróbicos na terceira idade. E destaca que o não sedentarismo entre idosos e a preservação da saúde óssea e articular, na sua maioria, estão diretamente ligados ao fortalecimento dos músculos e dos ossos.

Ele reforça que, ao reduzir o risco de lesões, dores e imobilidade, consequentemente temos uma melhora significativa do estresse e da ansiedade, além de diversos benefícios notáveis para a saúde.

“Temos aprendido que envelhecer com qualidade de vida é possível, sim, através de uma rotina de atividade física aliada a uma boa alimentação. Isso nos permite dar grandes passos ao resgate de uma faixa etária muitas vezes esquecida em nossa sociedade, como é a terceira idade.”

© 2024 EPOP copyright all right reserved.