Logo EPOP fundo transparente

Startup Instafruta é adquirida por holding varejista

Startup Instafruta é adquirida por holding varejista

A startup Instafruta, fundada em 2021 pelo empresário Leonardo Guarda, foi recentemente adquirida pela holding varejista Bem que Tem. Tendo começado em Belo Horizonte, a Instafruta é um serviço de “feira digital”, que entrega frutas, legumes e verduras frescos através de pedidos por aplicativo.

Já a holding varejista que adquiriu a startup atua no mercado de hortifruti tradicional há mais de 60 anos e viu na compra da Instafruta uma oportunidade de conquistar e consolidar uma posição no mercado digital, que cresce ano após ano de forma acelerada.

A operação de venda foi completa, incluindo na negociação toda a carteira de clientes, marca e operação como um todo. Os fundadores venderam aos novos proprietários 100% do capital da empresa, que assumiram total controle da companhia. 

O CEO Leonardo Guarda considera que a operação de venda foi um sucesso. “Ter a startup adquirida após apenas três anos de mercado é motivo de muito orgulho, principalmente para nós como fundadores do negócio e mostra a força da companhia e ótima percepção do mercado, que enxergou valor em nossa proposta e nos resultados expressivos da marca, principalmente por ser uma operação cash out, com liquidez para os empreendedores e controle total para os novos proprietários”, diz.

Sobre o processo, Leonardo complementa: “Nos dedicamos muito a startup nestes 3 anos, estruturamos todos os processos de forma enxuta, o que nos permitiu crescer e escalar sem a necessidade de investimentos externos, montamos a máquina de venda e temos muito orgulho de termos atingido a marca de mais de 25 mil pedidos em tão pouco tempo”.

A operação de venda de uma startup em pouco tempo, é conhecida no mercado de MNA como “early exit”, ou seja, os empreendedores vendem a startup enquanto ela ainda está em um estágio intermediário, antes de rodadas maiores de investimento e antes de chegar ao ápice. No Brasil, 98% das transações de M&A estão em valores entre R$ 20 milhões e R$ 200 milhões, deixando que as transações aconteçam, na maior parte, no modelo de Early Exit, segundo publicação da Questum.

A Instafruta, nasceu e cresceu sob a gestão dos empreendedores Leonardo Guarda e Robert Parreiras, em formato boostrapping, ou seja, termo usado quando, para levantar o negócio, são utilizados somente recursos próprios e não recorrendo a investidores externos. Apesar de não terem recorrido a nenhuma rodada de investimentos, a startup já havia, no entanto, atingido a marca de mais de 25 mil pedidos entregues apenas em seus três primeiros anos.

“As operações de early exit em startups são cada vez mais comuns, principalmente quando as companhias geram grande valor em curto espaço de tempo, atraindo a atenção de grandes investidores e potenciais compradores”, diz Robert Parreiras, COO da Startup.  “Os mercados tradicionais no Brasil e no mundo serão cada vez mais impactados pela inovação e novas tecnologias. Por isso, veremos ainda muitas aquisições de grandes companhias tradicionais buscando acompanhar o ritmo de crescimento com o avanço tecnológico”

Na visão do COO, países como China e EUA já possuem grandes empresas posicionadas neste segmento. “O mercado de FLV online com certeza ainda crescerá muito no Brasil e estamos apenas no início desta revolução”, complementa. 

Para o futuro, os novos proprietários do app de hortifruti brasileiro esperam que a startup continue crescendo devido ao consumo de FLV (frutas, verduras e legumes) no país. O CEO, Leonardo Guarda, complementa: “Esperamos que os novos controladores tenham muito sucesso com esta nova etapa na história do app, principalmente levando em consideração as novas possibilidades de comodidade para os consumidores, uma tendência já consolidada no chamado varejo de conveniência”.

Para saber mais, basta acessar https://instafruta.com.br/

© 2024 EPOP copyright all right reserved.