Logo EPOP fundo transparente

Brasil concentra 30% dos crimes cibernéticos na América Latina e Caribe

Brasil concentra 30% dos crimes cibernéticos na América Latina e Caribe

A internet trouxe facilidades aos meios profissionais e colaborou com mais conexões pessoais em todo o mundo. Contudo, também veio acompanhada dos crimes cibernéticos, exigindo de pessoas e empresas mais cuidado e proteção com seus dados. Uma das últimas pesquisas realizadas por consultorias de segurança cibernética revela que o Brasil sofreu 103 bilhões de tentativas e ameaças de ataques virtuais em 2022.

O levantamento da Fortinet, especializada em segurança on-line, mostrou o Brasil como responsável por cerca de 30% dos casos registrados em toda a América Latina e Caribe, com 360 bilhões ao todo. Em primeiro lugar, está o phishing, comunicações enviadas por e-mail por softwares mal-intencionados e que podem causar danos. Geralmente são falsas promoções para atrair o usuário que, ao clicar, tem seus dados pessoais coletados de maneira ilegal.

Entre outros crimes, estão: o mobile malware, que é um vírus instalado em dispositivos para roubar informações; cobranças bancárias falsas; e a espionagem, que pode transferir dados de uma empresa para outra. Para evitar cair em qualquer um dos inúmeros tipos de crimes, é necessário se proteger.

Marcelo Ciscato, diretor da Alias Tecnologia, empresa que desenvolve plataformas multifuncionais de tecnologia web e mobile, explica que já há sinais no Brasil de preocupação com o avanço desse tipo de crime. “A Política Nacional de Segurança da Informação (PNSI) foi aprovada em 2018 e contempla segurança e defesa cibernética, segurança física e proteção de dados”, orienta Ciscato. Ele acrescenta ainda que o decreto permitiu que as pessoas sejam resguardadas na hora de denunciar um golpe na internet. Todavia, antes da ocorrência, há maneiras de se prevenir”.

O diretor lista cinco pontos primordiais de cuidados. O primeiro é manter as senhas fortes e únicas. “Na hora de escolher uma senha para qualquer acesso, procure combinar diferentes itens e não repita senhas em contas on-line. O mesmo código facilita a entrada do criminoso”.

A segunda dica é se certificar de que o sistema operacional, assim como o antivírus e outros softwares, sejam atualizados com frequência. As atualizações corrigem falhas de versões anteriores.

Os e-mails, muito utilizados de maneira profissional, também podem se tornar iscas fáceis para os criminosos. Ciscato relembra que, na Alias Tecnologia, os procedimentos de prevenção são repassados com frequência. A companhia oferece serviços para emissão de documentos e contratos, portanto há necessidade de sermos muito criteriosos com a troca de dados. “E para garantir a segurança, verificamos com atenção a autenticidade dos remetentes, envio de links e informações. Tudo que possa parecer o mínimo suspeito é denunciado ao departamento de segurança cibernética”.

Conexões seguras com redes de conexão protegidas, além do armazenamento de dados com cópias em locais seguros são outras duas ações que devem ser tomadas para impedir o ataque de criminosos.

Segurança

Na Alias Tecnologia, todos os bancos de dados são armazenados em bancos de data center Tier-3, equipamentos de ponta, que contam com servidores alimentados por circuitos elétricos, geradores, nobreaks, resfriamento e roteadores de internet independentes. “Nós garantimos que as informações são seguras porque o nosso sistema é extremamente remoto. Além disso, por questão de contingência de riscos, nossas centrais de bancos de dados estão localizadas em regiões distantes geograficamente”, conta Christian Prohmann Nadolny, superintendente da TI da Alias Tecnologia.

Ele ainda ressalta que, internamente, a empresa possui profissionais “altamente qualificados em segurança da informação, dispositivos de logs, rastreio de operações, histórico com todas as informações relacionadas com qualquer operação que seja realizada por qualquer cidadão do país que utilize nossos serviços”, finaliza Christian. 

© 2024 EPOP copyright all right reserved.