Logo EPOP fundo transparente

Raciocínio lógico pode se desenvolver com estímulos diversos

Raciocínio lógico pode se desenvolver com estímulos diversos
Raciocínio lógico pode se desenvolver com estímulos diversos

O desenvolvimento do raciocínio lógico é uma busca constante, pois sua relevância vai além do âmbito acadêmico e profissional, estendendo-se às atividades do dia a dia. A capacidade de pensar de maneira clara, coerente e consistente é fundamental para resolver problemas e tomar decisões. Este aspecto se torna especialmente relevante em um mundo em constante evolução. Felizmente, a ciência tem oferecido insights sobre como cultivar essa habilidade, demonstrando que o raciocínio lógico pode ser enriquecido por uma série de estímulos.

A pesquisa “Individual Differences in Reasoning: Implications for the Rationality Debate?“, conduzida por Keith E. Stanovich, do Departamento de Desenvolvimento Humano e Psicologia da Universidade de Toronto, no Canadá, mostra que o raciocínio lógico não é apenas uma característica intelectual abstrata, mas um fator que impacta nas escolhas diárias e tomadas de decisões. Os dados apontam ainda para a relevância do desenvolvimento do pensamento lógico para aprimorar a capacidade de analisar informações e fazer escolhas racionais, independentemente do contexto.

Mariana Bruno Chaves, formada em Letras pela USP, pós-graduada em psicopedagogia e especialista em educação na rede Kumon, compartilha insights sobre aprimorar essa habilidade. Ela ressalta que existem inúmeras maneiras de treinar o raciocínio lógico, não apenas para crianças, mas também para manter adultos mentalmente ativos ao longo da vida. Um dos métodos indicados é a promoção da leitura, que amplia vocabulário e gramática. “Livros proporcionam um terreno fértil para estimular a criatividade e a imaginação, além de construir opiniões e adquirir conhecimento do mundo”, conta.

A especialista conta ainda que os primeiros anos de vida oferecem uma janela crítica para moldar a capacidade lógica. Introduzir exercícios mentais desde cedo, seja por meio de jogos como o xadrez, aprender novos idiomas como o inglês – que se tornou uma parte integrante do cotidiano – ou resolver problemas matemáticos, estabelece alicerces sólidos.

Ainda segundo Mariana, uma estratégia que vale ser aplicada é a busca por atividades saudáveis, que contribuam para que o cérebro permaneça jovem por mais tempo e tenha um alto raciocínio. “Aqui valem os exercícios físicos, que melhoram o fluxo sanguíneo, uma dieta balanceada, que colabora para que os neurônios vivam mais e, por fim, ter uma boa noite de sono, para que o cérebro funcione com agilidade e mantenha a concentração e o raciocínio lógico”, detalha.

É essencial destacar, de acordo com a psicopedagoga, que o equilíbrio é fundamental. Incorporar essas práticas na rotina ajuda a manter o cérebro ativo e engajado, mas é igualmente vital dedicar tempo ao descanso e relaxamento.

© 2024 EPOP copyright all right reserved.