Logo EPOP fundo transparente

Cresce interesse de empresas por automação industrial com IA

Cresce interesse de empresas por automação industrial com IA
Cresce interesse de empresas por automação industrial com IA

Segundo um levantamento realizado pela Salesforce em 2023, 91% das empresas do globo desejam automatizar processos de negócios. Atrelado a isso, o mercado brasileiro de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) deve chegar a US$ 80 bilhões (R$ 389,50 bilhões) neste ano, uma expansão de 5%, conforme estimativa que integra a mais recente edição do estudo IDC Predictions Brazil, realizado pela IDC Brasil

De acordo com o estudo, os segmentos de Telecom e TI devem crescer 3% e 6,2%, respectivamente, sendo que a expansão deste último está vinculada ao consumo de tecnologia por empresas (TI B2B), que deve crescer 8,7% puxado pelo investimento em Software e Cloud.

José Paixão Barbosa Sousa, cientista de dados e especialista em aplicações de segurança cibernética em inovações tecnológicas, vê o uso da IA (Inteligência Artificial) na automação industrial como uma transformação significativa que está revolucionando a forma como as indústrias operam e produzem bens.

“A IA tem potencial para otimizar processos, melhorar a eficiência, reduzir custos e aumentar a qualidade na produção industrial”, afirma Sousa. Ele destaca as principais maneiras pelas quais a IA está sendo aplicada na automação industrial nos tópicos a seguir:

  • Manufatura Robótica Avançada: a IA permite a criação de robôs industriais mais inteligentes e adaptáveis. Eles podem executar tarefas complexas, como montagem e inspeção de produtos, de forma autônoma, melhorando a velocidade e precisão da produção;
  • Manutenção Preditiva: através do monitoramento constante de sensores e análise de dados, a IA pode prever quando as máquinas industriais precisarão de manutenção, evitando paradas não programadas e maximizando o tempo de atividade;
  • Otimização de Processos: algoritmos de IA podem analisar grandes quantidades de dados para otimizar processos de produção, ajustando parâmetros em tempo real para maximizar a eficiência e minimizar o desperdício;
  • Controle de Qualidade: sistemas de visão computacional alimentados por IA podem inspecionar produtos de forma minuciosa e identificar defeitos com mais precisão do que os métodos tradicionais, melhorando a qualidade dos produtos finais;
  • Logística e Cadeia de Suprimentos: a IA pode otimizar rotas de transporte, gerenciar estoques de forma mais eficiente e prever demandas futuras, contribuindo para uma logística mais ágil e redução de custos;
  • Design Assistido por Computador (CAD): a IA pode ajudar na geração de designs mais eficientes e inovadores, levando em consideração parâmetros de desempenho e restrições técnicas.
  • Tomada de Decisão Inteligente: a análise de dados em tempo real com base em IA permite que os tomadores de decisão obtenham insights mais profundos sobre a operação da fábrica, facilitando escolhas informadas para melhorar a eficiência e a produção.
  • Colaboração Homem-Máquina: a IA pode colaborar com os trabalhadores humanos, auxiliando-os em tarefas complexas, proporcionando orientação e aumentando a segurança.

Entretanto, para Sousa, vale mencionar que a implementação da IA na automação industrial também apresenta desafios: “Questões relacionadas à privacidade dos dados, segurança cibernética, treinamento adequado de pessoal e adaptação a mudanças são considerações críticas que as indústrias precisam abordar para aproveitar plenamente os benefícios da IA na automação”.

Ferramentas podem ser usadas na automação industrial

O especialista em aplicações de segurança cibernética destaca que a automação industrial envolve a aplicação de tecnologia para automatizar processos, reduzir a intervenção humana e aumentar a eficiência na produção. A seguir, algumas das principais ferramentas e estratégias utilizadas na automação industrial:

  • CLPs (Controladores Lógicos Programáveis): dispositivos eletrônicos programáveis usados para controlar máquinas e processos. Eles executam tarefas de controle, monitoramento e coleta de dados;
  • SCADAs (Supervisory Control and Data Acquisition): sistemas que coletam, monitoram e controlam dados em tempo real, permitindo que operadores supervisionem e controlem processos industriais; 
  • Robôs Industriais: máquinas programáveis que executam tarefas repetitivas e complexas, como soldagem, montagem, embalagem e inspeção;
  • Sistemas de Visão Computacional: utilizados para inspecionar visualmente produtos, identificar defeitos e orientar robôs em tarefas precisas;
  • Sistemas de Rastreamento e Identificação por RFID: tecnologias como Radio Frequency Identification (RFID) são usadas para rastrear produtos e ativos em tempo real ao longo da cadeia de produção;
  • Sistemas MES (Manufacturing Execution Systems): softwares que gerenciam e monitoram a produção em tempo real, integrando processos de chão de fábrica com sistemas empresariais;
  • Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning): softwares que integram informações de diferentes departamentos da empresa, otimizando processos e recursos.
  • HMI (Human-Machine Interface): Interfaces que permitem a interação entre operadores e sistemas automatizados, facilitando o monitoramento e o controle.

Para concluir, Sousa ressalta que, com o amplo interesse na automação industrial através da IA, a escolha das ferramentas dependerá das necessidades específicas da indústria, dos objetivos de automação e dos recursos disponíveis. “É essencial que haja uma compreensão clara dos processos industriais e uma abordagem cuidadosa na implementação de sistemas automatizados para garantir eficiência, qualidade e segurança”, afirma.

© 2024 EPOP copyright all right reserved.