Logo EPOP fundo transparente

Portugal terá bilhete único até o fim de 2023

Portugal terá bilhete único até o fim de 2023
Portugal terá bilhete único até o fim de 2023

Utilizado em algumas cidades brasileiras, o bilhete único para o transporte público foi expandido para todo país em Portugal. A ideia é que o sistema esteja totalmente integrado entre Lisboa e Porto, as duas principais áreas metropolitanas do país, até o fim de 2023

A mudança deve facilitar a vida de moradores e turistas. Atualmente, os bilhetes usados em cada uma das duas cidades não “conversam” com os equipamentos instalados respectivamente, ou seja, quem tem um passe ou bilhete de transporte de Lisboa não consegue usar no Porto, e vice-versa.

O investimento para realizar a integração entre os dois sistemas será de aproximadamente 2,7 milhões de euros e faz parte de uma primeira etapa de um projeto mais amplo. A 1Bilhete.pt, como é chamada a plataforma de bilhetes, prevê a unificação dos aplicativos para a compra online dos bilhetes e a inclusão de outras modalidades, como a partilha de veículos (ambos no segundo semestre de 2024).

“A estratégia de Portugal foi expandir o sistema que existe em Lisboa para todo o país. Assim como foi feito aqui no Rio de Janeiro, onde você tinha a Riocard originalmente apenas na capital, que foi ampliada para outros municípios. No Brasil, poderia ser feito da mesma forma, nós poderíamos expandir o nosso sistema para todo o país”, avalia Cassiano Rusycki, Diretor Executivo da Riocard Mais. 

De acordo com o Instituto da Mobilidade e dos Transportes, entidade semelhante ao Detran do Brasil, também será possível a criação de bilhetes de transporte público nacionais, além da utilização de cartões bancários, físicos ou virtuais, para a compra e a aquisição de bilhetes.

Uso no Brasil

Apesar de uma possível expansão do sistema de bilhetagem de transporte público para todo território nacional não ser pauta no país, Rusycki defende que é possível planejá-la. 

“Para que esse projeto seja viabilizado, depende apenas de vontade política. Já temos no Brasil um sistema de Bilhetagem Eletrônica interoperável, capaz de atender todos os modais em diversas cidades e estados. É preciso apenas um projeto de expansão desse sistema”, afirma.

A novidade em Portugal pode ajudar a levantar o assunto com as autoridades responsáveis, mas a expansão não seria algo tão simples, principalmente por conta da extensão territorial do Brasil. 

“Se for acontecer, deve ser feito de forma gradual. Além do processo necessário para implementação do sistema, também precisa ser pensado em como essa migração será entregue à população”, conclui Rusycki.

Para conhecer mais sobre o sistema de bilhetagem da Riocard Mais, basta acessar: riocardmais.com.br

© 2024 EPOP copyright all right reserved.